icon-emailicon-facebookicon-instagramicon-nexticon-playicon-previcon-twitter
Fetrafi-MG CUT Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro

NOTÍCIAS

08/05/2018
Bancários do Minas discutem pauta de reivindicações da Campanha Nacional 2018

Trabalhadores do Bradesco, do Itaú, do Santander e do Mercantil do Brasil de Minas Gerais se reuniram para dar início à Campanha Nacional 2018, que demandará muita mobilização para garantir os direitos da categoria.

O encontro estadual dos bancos privados, promovido pela Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas (Fetrafi-MG) reuniu centenas de bancários e bancárias funcionários do setor privado no dia 4 em Belo Horizonte. Os diretores do Sindicato de Uberaba e região Baltazar Luzia Pinto, Hélio Fernandes e Kênia Faria participaram do evento.

A Presidenta da Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro de Minas de Gerais (Fetrafi-MG/CUT), Magaly Fagundes, falou sobre a importância desse debate para as decisões que serão levadas ao Encontro Nacional dos Bancos Privados.

A economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Cátia Uehara, fez um balanço da situação atual dos bancos privados no ano de 2017. Ela destacou que, mesmo numa conjuntura de crise, os bancos privados tiveram um lucro muito alto.

“Os três maiores bancos juntos tiveram um lucro de mais de 54 bilhões de reais, uma variação de mais de 15%, isto é, não foram afetados pela crise econômica brasileira. A recessão, que tem arrastado muitos trabalhadores ao desemprego, não afetou os bancos. O que percebemos é que os resultados dos bancos foram influenciados pela queda das despesas, de produção e de captação. Além disso, tiveram também uma redução de impostos na ordem de 13 bilhões de reais, o que é bastante significativo. Os bancos têm feito uma reestruturação muito forte dos postos de trabalho, principalmente o Bradesco, que abriu no ano passado um plano de demissão voluntária, com adesão de mais de 7 mil trabalhadores”, disse.

“Vai ser um ano muito importante do ponto de vista da negociação, porque teremos os bancos ainda com lucros muito elevados e trabalhadores bastante fragilizados por conta da questão do emprego e da reforma trabalhista, que já se anunciou no ano passado”, finalizou.

No encontro, os trabalhadores de cada banco se reuniram para debater questões específicas e elaborar propostas que serão levadas ao Encontro Nacional dos Funcionários de Bancos Privados, que será realizado em São Paulo nos dias 7 e 8 de junho.

Fonte: Fetrafi/MG

TAGS: #Bancos privados