icon-emailicon-facebookicon-instagramicon-nexticon-playicon-previcon-twitter
Fetrafi-MG CUT Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro

NOTÍCIAS

29/07/2016
Bradesco lucra R$ 8 bi e fecha 4,4 mil vagas em um ano

O Bradesco apresentou lucro líquido ajustado de R$ 8,274 bilhões no primeiro semestre de 2016, redução de 5,7% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o resultado chegou a R$ 8,778 bilhões. A redução se deve, principalmente, ao aumento da despesa com provisão para devedores duvidosos (PDD): cresceu 32% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2015, atingindo o patamar de R$ 10,5 bilhões. Clientes corporativos são a principal causa do crescimento. Apenas uma empresa foi responsável pelo provisionamento de R$ 1,201 bilhões. O índice de inadimplência superior a 90 dias encerrou junho de 2016 em 4,6% (3,7% em junho de 2015).

Segundo o coordenador da Comissão de Organização dos Empregados do Bradesco, Gheorge Vitti, o lucro continua exorbitante e os postos de trabalho diminuindo, o que significa um contrassenso. “Vamos continuar cobrando do banco sua responsabilidade social, pois o setor financeiro continua com os lucros nas alturas e com uma postura intransigente, pois ao invés de contratar mais, desemprega”, destacou.

Mesmo atingindo lucro vultoso, o Bradesco cortou 4.478 postos de trabalho em 12 meses (junho de 2015 a junho de 2016) e 3.437 postos apenas nos primeiros seis meses de 2016, sendo 1.971 nos últimos três meses. Atualmente conta com 89.424 funcionários.

As receitas de tarifas e prestação de serviços tiveram alta de 8,5% e chegaram a R$ 9,969 bilhões. Apenas com essa receita, o banco cobre 137% do total das despesas de pessoal.

Menos agências e empregados – A alta não se traduziu em melhor atendimento aos clientes, pois além de cortar milhares de postos de trabalho, o Bradesco ainda fechou 145 agências, sendo 26 apenas nos últimos três meses. Atualmente, o banco conta com 4.483 agências bancárias.

TAGS: #BRADESCO