icon-emailicon-facebookicon-instagramicon-nexticon-playicon-previcon-twitter
Fetrafi-MG CUT Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro

NOTÍCIAS

21/11/2017
Bancos privados apresentam lucros bilionários, mas demissões não param

Apesar dos lucros bilionários, Bradesco e Santander seguem com a política de redução do quadro de funcionários no país. O banco Itaú, no entanto, abriu
mais unidades digitais em detrimento das agências físicas. Confira o lucro obtido pelos bancos privados de janeiro a setembro de 2017:

BRADESCO
O Bradesco obteve lucro líquido ajustado de R$ 14,162 bilhões nos nove primeiros meses de 2017, crescimento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2016 e de 2,3% no trimestre. O mês de setembro foi encerrado com uma redução expressiva de 9.234 postos de trabalho em relação ao mesmo período no ano passado. Até dezembro de 2017, o número de
bancários pode reduzir ainda mais, tendo em vista o PDVE. Foram fechadas 492 agências e abertos 6 novos postos de atendimento.

SANTANDER
O Santander lucrou R$ 7,2 bilhões apenas nos nove primeiros meses de 2017, um crescimento de 34,6% em relação ao registrado no mesmo período do ano passado. O lucro obtido no Brasil representou 26% do obtido em termos globais. A holding encerrou o 3º trimestre de 2017
com 46.632 empregados, com fechamento de 1.392 postos de trabalho em relação ao mesmo período no ano passado. O número de agências
se manteve no período.

ITAÚ
Entre janeiro e setembro de 2017, o banco Itaú obteve lucro líquido recorrente de R$ 18,6 bilhões. O valor representa crescimento e 13,9%
em relação ao mesmo período de 2016 e de 1,4% no terceiro trimestre. A análise do Dieese aponta ainda que a holding encerrou o terceiro trimestre
de 2017 com 82.401 empregados no país, com aumento de 664 postos de trabalho em relação a setembro de 2016. Em compensação, foram abertas 26 agências digitais e fechadas 141 agências físicas no país em doze meses.

TAGS: #Bancos privados